Responsive Ad Slot

SCS Quadra 3, Bloco A, Entrada A/B, Lote 40
70303-901 - Edifício Planalto, Sala 106
(61) 3347-6110
Últimas Notícias

Confira os cursos técnicos com mais vagas de emprego abertas

domingo, 26 de julho de 2015

Nos primeiros quatro meses de 2015, a procura por esses profissionais cresceu 15% em relação ao mesmo período do ano passado, diz pesquisa.


Técnicos Industriais de Nível Médio
Clique na imagem para assistir ao vídeo.


Quem procurou na qualificação uma arma contra o desemprego, está encontrando vaga de trabalho. Tem vaga garantida, mas para quem investiu no curso técnico certo.

Não é para todos os cursos. Tem vaga, principalmente, para técnicos em eletrônica, mecânica, mecatrônica. Esse tipo de profissional joga nas 11, pode trabalhar na indústria automotiva, tem qualificação para trabalhar na indústria de alimentos no setor de serviços e até no comércio.

Eles fazem parte de um grupo de trabalhadores que estão na contramão do momento dificil da economia brasileira. Os técnicos com boa formação, o mercado ainda abre vagas.

Nos quatro primeiros meses do ano, a procura por esses profissionais cresceu 15% em relação ao mesmo período do ano passado. É o que diz uma pesquisa feita pela empresa de consultoria e recrutamento Page Personnel.

Supervisor de uma empresa de tecnologia da informação, Cássio confirma. A empresa dele fica em Cascavel, no Paraná. E o tipo de trabalhador que ele, normalmente, procura não vem de universidades e nem de escolas regulares. “Sempre temos dificuldades de encontrar pessoas já preparadas. Então, o curso técnico neste caso, nos aponta para aquelas pessoas que nós podemos investir”, afirma Cássio Myrke, supervisor da Constel.

Mas esse profissional que continua requisitado apesar da crise, não é qualquer técnico não. A pesquisa mostrou quais são os sete cargos mais procurados este ano. Entre eles, está o de técnico em eletroeletrônica e em eletrotécnica. Foi o curso que o Lucas Sousa escolheu.

Ele fez o curso, de dois anos, enquanto concluía o Ensino Médio, queria começar logo a trabalhar para poder pagar a faculdade de engenharia. Até o ano passado, atuava na área de refrigeração, era funcionário de uma fabricante de cervejas, agora está em uma empresa que produz e faz manutenção de elevadores. Já chegou com promessa de promoção e hoje é supervisor. “A pessoa que estuda eletrotécnica, se ela tiver determinação, ela vai entender o serviço, ela vai entender como funciona a eletricidade, dali ela vai poder trabalhar em qualquer parte”, conta o técnico em eletrônica.

Se Lucas está preocupado com a crise? “Não, Estou preocupado em me formar e já dar o próximo passo”, afirma.

Os outros técnicos mais procurados são os formados em automação industrial, mecatrônica, qualidade, logística, manutenção mecânica e mecânica.

Mas o que essas profissões têm de tão especial?

“Seriam as profissões curingas. Então um técnico em mecânica ele trabalha em uma indústria automotiva, em uma indústria de alimentos, ele trabalha no setor de serviços prestando serviços para outras indústrias e também no comércio. Esse é um exemplo clássico que são profissões que conseguem circular no mercado de trabalho mesmo em um momento de crise”, afirma Márcio Guerra, gerente de estudos do CNI/SENAI.

O gerente do Senai lembra que não basta ter a formação. Tem muito técnico desempregado. Para se destacar, além de escolher a área certa, é preciso se qualificar. “Esses profissionais que tem essa qualificação e que tem outras competências, como outro idioma, sabem trabalhar em equipe, tem bom relacionamento interpessoal, nesse momento também são desejados pelo mercado de trabalho, sobretudo pela indústria”, indica Márcio Guerra.

A oferta de vagas em cursos técnicos de nível médio no Brasil aumentou 55% em cinco anos, mas ainda não é o suficiente. Uma fábrica de papéis especiais, em Piracicaba, decidiu fazer uma parceria com uma escola particular para qualificar os funcionários com um curso especifico de química para papéis. O investimento valeu a pena.

“Já vemos a qualificação técnica na área, as análises aprimoradas, os processos, muitos processos produtivos já aprimorados, além da motivação, da melhor capacidade técnica e muitos, podemos colocar, 40% dos profissionais que participaram do curso já foram promovidos”, diz a analista de RH, Ana Graziella Lavorete.

Conseguir uma vaga em um curso técnico de qualidade não está assim tão fácil. Porque o Governo Federal reduziu o número de vagas no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico, o Pronatec, para um milhão este ano. Um terço do total oferecido no ano passado.

Fonte: G1
Não deixe de ver!