Responsive Ad Slot

SCS Quadra 3, Bloco A, Entrada A/B, Lote 40
70303-901 - Edifício Planalto, Sala 106
(61) 3347-6110
Últimas Notícias

Energia solar ganha corpo no Brasil

segunda-feira, 18 de maio de 2015


O Brasil enfrenta a pior crise hídrica da sua história. Rios e represas que antes transbordavam e davam à sua população a segurança e conforto provenientes desse recurso, hoje se mostram leitos praticamente vazios e têm prognósticos nada animadores quanto à reversão desse quadro, que afeta diretamente o povo e o desenvolvimento do país. Os reflexos da falta de água vão além da adoção de medidas de racionalização e de uso consciente.

A seca causa impactos negativos na economia, diminuindo o ritmo da produção de empresas, impactando diretamente nos negócios, na geração de empregos, e forçam as companhias a buscarem a estabilidade hídrica em outros estados, configurando uma perda sem precedentes para a
região afetada.

Ligada a esta crise está a questão energética do País. Quase 70% da energia elétrica produzida por aqui vêm das hidrelétricas, de acordo com o Governo Federal. O dado revela uma deficiência em nosso sistema, carente de políticas que objetivem a diversificação de nossa matriz energética e diminua nossa vulnerabilidade.

Pensar nessa diversificação é necessário para avançarmos.

O Brasil tem atributos importantes que podem ajudar nesse processo de pluralização da matriz de energia. Somos banhados pelo sol praticamente o ano todo, um ambiente perfeito para tornar os raios solares aliados nessa empreitada. A energia solar na América Latina é cada vez mais discutida como a principal fonte de energia para o futuro.

Em 2014, o país realizou o primeiro leilão público nacional com participação expressiva de empreendimentos de energia solar, com resultados amplamente favoráveis: foram contratados 1048 MW de capacidade fotovoltaica instalada em 31 usinas.

Em 2014, o governo do Estado de São Paulo isentou do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) bens e equipamentos usados na geração de energia por meio de fontes renováveis, incluindo energia solar. O objetivo do Governo Paulista é atingir 69% de participação de fontes renováveis em sua matriz energética até 2020.

Estados como Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Goiás, Tocantins e Piauí também possuem grande potencial para a rápida disseminação da energia solar em função da elevada tarifa de energia elétrica e da grande incidência de sol nessas regiões.

É necessário ampliar o debate sobre o tema e mostrar para o público em geral que a energia solar no Brasil já é uma realidade. Iniciativas como a Intersolar South America - exposição e conferência - são uma enorme oportunidade para que empresas e profissionais do setor de energia solar debatam tendências, façam contatos e troquem informações sobre desenvolvimentos tecnológicos, métodos de produção eficientes, financiamento e planejamento de projetos, além de mostrarem suas soluções ao mercado especializado.

A demanda por energias renováveis cresce a cada dia, e o Brasil, país em pleno desenvolvimento e de grandes recursos naturais, tem a responsabilidade de seguir e mesmo liderar essa tendência. Existe também vontade política e a população já deu a sua contrapartida com demonstrações de apoio à energia solar. Quem ganha com isso somos todos nós.

Fonte: Jornal do Commercio (RJ)
Não deixe de ver!