Responsive Ad Slot

SCS Quadra 3, Bloco A, Entrada A/B, Lote 40
70303-901 - Edifício Planalto, Sala 106
(61) 3347-6110
Últimas Notícias

ONS prevê mais chuvas para o mês

sábado, 14 de março de 2015

Usina de Três Marias opera com volume de 20,32%, pela primeira vez no ano

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) voltou a elevar a previsão para o nível dos reservatórios das hidrelétricas brasileiras. No relatório divulgado ontem, a expectativa é de que a reserva das usinas das região Sudeste e Centro-Oeste atinjam a capacidade média entre 26,4%, no cenário pessimista, e 31,7%, no otimista. As regiões são responsáveis por 70% da energia produzida no país. Isso ocorreu diante de uma melhora nas previsões de chuvas sobre a área neste mês para entre 72% e 93% da média história de março. Uma semana antes, previa-se um volume de água entre 63% e 88%.

No documento, a ONS estima que o crescimento anual da carga de energia no Sistema Interligado Nacional (SIN) em março caiu de 2,9% para 2,4%, apesar de o mês neste ano ter mais dias úteis que em 2014. A revisão inclui uma expectativa de expansão de apenas 0,8% na carga do Sudeste no período por causa do fraco nível de atividade do setor industrial.

Caso se confirme a previsão mais otimista para o armazenamento nas hidrelétricas do Sudeste e do Centro-Oeste, as usinas entram na margem de segurança considerada pelo governo como necessária para evitar um racionamento no país em 2015. Em novembro, o diretor-geral do ONS, Hermes Chipp, disse que o atendimento à demanda por energia no Brasil este ano estaria garantido se as represas das duas regiões chegassem no fim de abril com nível médio entre 30% e 35%. Diante deste quadro, fontes do governo afirmam que estão perto de poder dizer que o Brasil está livre do racionamento.

Para consultores independentes, no entanto, há um excesso de otimismo governamental. Segundo Carlos Mello, a Thymos Consultoria, a Região Sudeste teria que registrar chuva, em abril, de 90% da média para atingir 33% do nível dos reservatórios. Volume considerado pela ONS como ponto a partir do qual seria possível atravessar o período seco e chegar ao fim do ano com, pelo menos, 10% dos reservatórios.

Minas Gerais
Depois de um ano operando com menos de 20% da capacidade, um dos principais reservatórios da região, o de Três Marias, no Rio São Francisco, em Minas Gerais, alcançou esta semana 20,32% de volume útil, graças às chuvas de março. Apesar de ser vista como um bom sinal para 2015, especialistas apontam que o volume de Três Marias ainda está aquém do ideal, assim como o de outras grandes hidrelétricas do país. A previsão da Cemig, concessionária da usina, é de que até o fim desta estação chuvosa, a armazenagem ultrapasse 30%.

A hidrelétrica tem capacidade de geração de 396 megawatts, mas está produzindo apenas 27 megawatts (de uma turbina). “Em questão de energia, ela não está representando nada para o que o Brasil precisaria agora”, aponta o gerente de planejamento da Cemig, Marcelo de Deus Melo. Outra usina que sofreu com a estiagem em Minas, a Camargos, está, segundo dados da Cemig, com 40,5% do volume útil, sendo que no mesmo período do ano passado, tinha 19,89%.

Racionamento
O especialista Carlos Mello, da Thymos Consultoria, considera que, sob o ponto de vista estritamente técnico, o racionamento de energia deveria ser adotado, e suge um corte de 20% no consumo a partir de junho para o país garantir o abastecimento. “Só dá para descartar o racionamento se chover naquelas proporções bíblicas, da época da Arca de Noé.”

Fonte: CB
Não deixe de ver!