Responsive Ad Slot

SCS Quadra 3, Bloco A, Entrada A/B, Lote 40
70303-901 - Edifício Planalto, Sala 106
(61) 3347-6110
Últimas Notícias

Novo empréstimo de R$ 3,4 bi a distribuidoras sai até dia 30, diz CCEE

quinta-feira, 19 de março de 2015

Recursos serão direcionados à cobertura de custos com a compra de energia no curto prazo

SÃO PAULO (Reuters) - Um novo empréstimo bancário para distribuidoras cobrirem custos com compra de energia no mercado de curto prazo deve ser fechado até 30 de março, informou nesta quarta-feira a Câmara de Comercialização de Energia (CCEE).

O órgão privado, responsável por liquidar operações feitas no mercado de curto prazo de eletricidade, convocou para a próxima quarta-feira (25) uma assembleia geral dos associados para deliberar sobre o novo empréstimo no valor de 3,4 bilhões de reais, disse à Reuters o presidente do conselho da CCEE, Luiz Eduardo Barata.

"O prazo está apertado, mas pretendemos fechar até dia 30", disse Barata às margens de um evento do setor promovido pela CPFL.

A reunião foi convocada após o acerto do governo federal com o grupo de bancos que participaram de dois outros empréstimos ao setor para prolongar o prazo de 24 para 54 meses, disse Barata. Esse é período que as distribuidoras terão para repassar a conta aos consumidores. Os bancos já emprestaram um total de 17,8 bilhões de reais às distribuidoras desde o ano passado.

Nas duas primeiras tranches, a taxa de juros para os empréstimos tinha sido fixada entre em CDI mais uma faixa de 1,9 a 2,35 por cento ao ano.

De acordo com Barata, em princípio, as mesmas 13 instituições financeiras que participaram do primeiro pool de empréstimo devem integrar a nova transação, mas "um ou outro" banco pode sair.

BTG Pactual, Santander Brasil, Banco Safra e Bradesco atuarão como garantidores, mas esse grupo não está fechado e pode ter mais integrantes, disse o executivo.

O novo empréstimo servirá para a quitação das operações de novembro e dezembro do ano passado promovidas pelas distribuidoras no mercado de curto prazo. Originalmente, o prazo vencia entre janeiro e fevereiro deste ano, mas acabou sendo adiado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para dar tempo para que o governo federal consiga concluir negociação com bancos.

Fonte: Reuters
Não deixe de ver!